terça-feira, setembro 20, 2005

Terrorismo Gay


Eu, M’AndjaRolla, que sempre lutei pela paz e a união dos povos, resolvi virar a mesa, meter a plataforma Fernando Pires na jaca, e fundo a partir de hoje o primeiro grupo Gay Fundamentalista Radical, e convoco todo meu séqüito a praticar atos terroristas, e para tanto, relaciono abaixo algumas modalidades de terror pink:

Plano A - Arma Química de Efeito Moral:
Componentes:
- Dez travestis recém chegadas da Europa,
- 100 litros de perfume francês, de fragrâncias variadas,
- Dez leques chineses, tamanho GG com dragões bordados em dourado.

Procedimento:
- Cada travesti escolhe 10 litros de perfume, sendo que cada frasco deve ser de uma fragrância distinta e banham-se com TODO o conteúdo dos frascos.
- As 10 travestis adentram a um recinto fechado (um Bingo, por exemplo).
- Posicionam-se estrategicamente contra o fluxo do ar condicionado.
- Todas, em sincronia, abrem seus leques num estrondoso “porroc”.
- E começam a se abanar freneticamente até que todo o recinto seja dominado pelo odor misto de perfume, e as vitimas desmaiem.
- Para elas nada ocorre, claro, pois já estão imunizadas graças ao constante contato com os referidos perfumes.

Plano B – Ataque Sonoro:
Componentes:
- 500 gays de voz anazalada e bom fôlego.
- 500 megafones roxo-tinky-winky

Procedimento:
- Os 500 gays se posicionam estrategicamente de forma a fazer um cerco certo grupo de vítimas.
- Escolher preferencialmente lugares onde a acústica seja boa e a dispersão da multidão seja difícil (ginásio esportivo, por exemplo)
- A um sinal pré-estabelecido, todas ao mesmo tempo ligam seus megafones e começam a emitir, através deles, um longo e estridente “inhaííííííííííííííí”, até que os tímpanos das vítimas se arrebentem.
- Aos gays, acostumados com os inumanos decibéis das boites, nada acontece.

Plano C – Drag-Navalha:
Componentes:
- Uma drag-queen,
- Uma peruca com 100 trancinhas estilo rastafari,
- 100 lâminas gilette (as antigas),
- Um aparelho de som de grande potência com controle remoto que funcione à pilha,
- Um CD com uma gravação remix de “Womem Got The Power” ou “This Joy”.

Procedimento:
- Pegue a drag-queen e vista-a com a peruca rastafari.
- Na extremidade de cada trancinha fixe uma lâmina de gilete com as lâminas estrategicamente voltadas para fora.
- Leve a Drag para o meio de uma multidão (Rua 25 de Março em véspera de Natal).
- Ligue o som, deixe o CD e afaste-se imediatamente à uma distância segura.
- Com o controle remoto, dê o play e a música começará a tocar.
- A Drag automaticamente começará a a bater cabelo, rodando feito pião e cortando todos que se puserem em seu caminho, as vítimas mutiladas jamais se esquecerão.

Plano D – Sapatão Molotov:
Componentes:
- Uma lésbica com tendência suicida.
- Um litro de pinga,
- Fósforos
- Um Ob*.


Procedimento:
- Dê a pinga para a lésbica beber (tudo!).
- Insira o Ob* na lésbica, através o orifício apropriado.
- Pegue os fósforos e acenda a cordinha do Ob*.
- Atire a lésbica contra o alvo pretendido.
- Apesar da perda de uma camarada, esse procedimento é vantajoso, pois além da explosão do alvo, também funciona como arma química, devido ao cheiro nauseabundo de bacalhau frito que sucede a explosão.

2 comentários:

KAUÊ disse...

M´andjarolla, vc sempre inovando. Nem preciso falar q tive q voltar no texto 3 vezes pois nao parava de rir, muito bommmmmmmm.
o SAPATÂO MOLTOV eh demais..o nome ja é um atentado, mas o q mais gostei foi do plano 1 " arma quimica de efeito moral" as bibas todas com os leques... cara o plano eh perfeito!
beijao grande
Esperamos sempre suas novidades.

taradodemanhattan disse...

excelente, eu ri bem alto. e pude visualizar tudo perfeitamente.