sexta-feira, novembro 10, 2006



O mundo hoje está conhecendo a literatura infantil gls, com livros dirigidos para crianças, com temáticas gay. Esses livros têm até sido incorporado nos currículos de algumas escolas infantis na Europa e América do Norte, no que eles chamam de preparação para a diversidade sexual que as crianças vivenciarão no futuro, evitando assim a discriminação e a homofobia na nova geração.
Baseado nisso proponho que as escolas do Brasil adotem a idéia, e para tanto sugiro novas versões para as cantigas de roda:


Atirei o Pau no Gato
Eu peguei no pau do gato-to
E o gato-to pegou no meu-meu-meu
Uma bicha-cha, adimirou-se-se
Se jogou e aqüendou o gato e eu.

Borboletinha

Borboletinha, ta na cozinha
Batendo uma bolacha com a Madrinha
Bom-Bril, Bom-Bril, faltou um pau.
Pra quê um pinto se a Madrinha tem dedal?

Ciranda, cirandinha

Ciranda da bichinha, vamos todos nos montar
Põe peruca, veste rosa vai pra pista se jogar
O anel que tu me deste, deram a Elza e se acabou
O bofão que te comia é traveca, já operou.
Por isso, bicha-louca, não me faça linha agora
Dá uma pinta: “Tô bunita!!!” Faz um close e vá-se embora.

7 comentários:

NewYorkCityBoy disse...

heather meu friend,
a literatura infantil sempre foi gls, hihihi.

-he-man forte musculoso, loiro bombado.
-branca de neve e 7 anoes, ou seja grupal & bizarro junto.
-ciderela, a bixa-pobry de suburbio q sofre e trabalha mas consegue um principe no fim.
pernalonga, q se transvestiu de mulher inumeras vezes
-batman & robin, essa todo mundo ja sabe nem preciso explicar
-bambi entao, he-llo!

mas,
suas musikinhas infantis gls estao excelentes!

berto-nit disse...

Suas postagens são sempre muito criativas e esperadas. Espero nao ofender com a pergunta: é vc mesmo quem cria os texto ou trata-se de um trabalho de pesquisa.

Parabéns qualquer q seja a resposta.

Heather Boy disse...

Obrigadão Berto,
Sou eu mesmo quem cria os textos, quando uso alguma fonte de inspiração eu costumo citar a refeência. Às vezes edito algumas imagens, o q não é o caso desta postagem.
Tem muita merda nessa cabecinha....hehehe
É gratificante saber que estou agradando aos leitores, aceito sugestões de pauta tbm.

Deutsch Boy disse...

Heather boy,
Suas novas versöes para as cantigas infantis estäo hilárias! HAHA
Já estou até cantarolando pela casa...
BJS

kauerio disse...

Heather, vc pode estar certo q iremos introduzir estas modernissimas versões em nossa classe hospitalar. Meu medo é q vc alertou q nao somente as crianças gostariam ,mas todos os enfermeiros ficariam saltitanto pelos corredores........hummmm isto pode gerar um certo frisson nos médicos tb. ai jesus como tem bibinha na area da saúde!

Maria do Carmo disse...

politicamente falando suas letras sao bem mais coerentes. no caso do atirei o pau no gato, a versão oficial é de pura agressão e malvadeza com os animais, nesta nova roupagem vc prega o amor ao proximo o toque o afeto,"eu peguei no pau do gato"
Ciranda cirandinha, nesta esta clara a nova tendencia da sociedade, vc mostra claramente q nao podemos nos deixar levar pela aparencias como o caso do bofao q te comia que optou por virar travecão. Na versao oficial temos uma pessoa sendo enganada, o anel que tu me destes era vidro e se quebrou, e o amor passagereiro, "o amor q tu me tinhas era pouco e se acabou".
Isto ai a fila tem q andar....

Heather Boy disse...

Maria do carmo, amei sua análise socio-cultural da minhas versões... não sei qual sua profissão, mas vc seria uma pdagoga de mão cheia para a nova didática que pretendo implantar...hauahauhauahuhuahua