quinta-feira, outubro 12, 2006

Outing Subliminar


Você não agüenta mais sua mãe te cobrando um netinho?
Você não agüenta mais seus colegas de faculdade te empurrando as gostosas da sala?
Você não tem mais desculpas para escapar dos convites dos colegas de trabalho para cair na putaria depois do expediente?
Nas baladas HT sempre aparece uma mulher dando encima de você?
Enfim, você é perturbado pelo mundo hétero, mas não tem coragem de se declarar abertamente gay?
Se o outing é uma tortura pra você, eu creio que encontrei a solução: o outing subliminar.
Consiste basicamente no seguinte: você toma uma atitude que, apesar de discreta, declara sem sombras de duvidas que você é gay e pronto...
Não entendeu?
Então aqui vão algumas dicas:

Na família:
Quando sua mãe lhe perguntar quando vai ganhar um netinho seu simplesmente responda:
- “Já não está contente com meus dois poodles e o gato persa?”

Use recortes da G magazine para forrar a parte interna do seu armário.

Esqueça “sem querer” uma foto do seu namorado com dedicatória romântica para você sobre a cama.

No trabalho:
Tenha sobre sua mesa uma foto da Cher e outra da Madonna.

Quando atravessar o corredor até o bebedouro faça isso assoviando ou cantarolando Dancing Queen ou I Will Suvive.

Se algum colega comentar sobre a bunda da secretária, rebata comentando sobre a do office boy.

Na Faculdade (ou escola):
Use um fichário da Hello Kitty (se possível com as folhas decoradas, e tenha uma canetinha cheirosa para destacar partes importantes do texto)

Sempre que possível vá de sandálias, com as unhas bem feitas e pés impecavelmente bem cuidados.

Na Balada:
Se for danceteria se jogue na pista e dance muito (hétero de verdade não dança, só balança)

Duble todas as músicas, se forem de cantoras, melhor ainda.

Em barzinho com MPB se anime e cante junto todas as músicas da Zélia Duncan, Cássia Eller, Ana Carolina, Maria Bethania e derivados. Um gritinho de U-hu! No início dessas músicas ajuda.

Agora se nada disso funcionar (hetéro é meio cego para sinais discretos de homossexualidade, só sabem reconhecer um gay no estilo Lacraia pra cima) então o negócio é abrir o jogo, ou viver no armário.

Um comentário:

KAUE disse...

MEU AMIGAO HEATHER Q BOM Q VOLTOU A ESCREVER, VC SEMPRE MUITO DIVERTIDO
BEIJOS
KAUÊ